Arquivo da categoria ‘Humor’

Protesto aconteceu em Sorocaba, no interior de SP onde o rendimento de parlamentares subirá de R$ 7.800 para R$ 15 mil.

Um comerciante de Sorocaba, no interior de São Paulo, ficou só de cueca em plena Câmara Municipal em protesto contra o aumento dos subsídios dos vereadores, nesta segunda-feira (20). Reinaldo Martins do Prado se disse indignado com o aumento.

“Eu não sou indecente. Indecente é o que está acontecendo aqui”, disse o comerciante ao tirar a roupa.

Os vereadores levaram 30 segundos para aprovar o reajuste de quase 100% do rendimento deles. Eles dispensaram a leitura do projeto e as discussões. Um parlamentar, que hoje recebe R$ 7.800, na próxima legislatura vai ganhar R$ 15 mil.

Moradores que acompanhavam a sessão no plenário da Câmara se revoltaram, manifestando a indignação em cartazes. Alguns usaram nariz de palhaço como protesto.

Na mesma sessão extraordinária, os vereadores aprovaram outro projeto de resolução polêmica, criando mais 20 cargos de confiança. No ano que vem, cada vereador, que já tem cinco assessores no gabinete, vai poder contar com mais um. A medida vai fazer a folha de pagamento saltar de R$ 4,1 milhão para R$ 4,9 milhão por ano.

É muita picaretagem, nesses ultimas semanas foi demais. Aumentos virtiginosos em todos os estados da federação e o MP não vê, as pessoas estão mais preocupacas com novelas e o brasil (com “b” minusculo mesmo) se afogando em corrupção e ningué faz absolutamente NADA.

Cansei de escrever e tentar mudar o mundo, vou procurar me ocupar fazendo coisas mais importantes, na minha vida pessoal, que é o pensamento dos políticos brasileiros…e no fundo eles tem razão, primeiro os meus, o resto que se f*d@.

Por conta disso, agradeços aos quase 10 mil visitantes que passaram por aqui, pelo apoio de quem me incentivou para continuar escrevendo e para você que, quando não tinha muito o que fazer passou pelo nosso Blog. Cada um faça o melhor para a sua vida e se der tempo, e somente se der tempo mesmo, tente arrumar o brasil.

Finalizo o post com minha última teclada…em homenagem ao brasileiros que na sua passividade assistem de camarote o roubo de nossos salários, conquistados com muito suor e dignidade, que no final das contas engordarão os salários dos politicos brasileiros… e como diria Justo Veríssimo de Santo Cristo: “Tenho horror a pobre!” “Quero que pobre se exploda!“. 

É isso.

O amanhã a Deus pertence…

Publicado: 20/12/2010 em Humor
Tags:,

Pior que tá, vai ficar!

Publicado: 15/12/2010 em Humor, politica
Tags:, ,

Depois de postar sobre os filmes brasileiro que você não deve assistir, veja o post , ainda pode ficar pior a lista do nosso cinema nacional: A vida de titirica poderá virar um longa.

Depois de “Lula, o Filho do Brasil”, foi ao forno o projeto de um novo filme sobre a vida de um retirante que venceu na política. Uma espécie de “Tiririca, o neto…”

A novidade é relatada num par de notas da coluna de Mônica Bergamo, na Folha, transcritas abaixo:

– Tiririca na tela: Tiririca pode virar filme. O diretor André Klotzel (“A Marvada Carne”, “Reflexões de um Liquidificador”) já engatilhou conversa com a equipe do deputado eleito para que a vida dele seja retratada na tela grande.

A ideia é contar a trajetória do palhaço e também acompanhá-lo em sua estreia no Congresso. Tiririca já disse que não sabe o que os parlamentares fazem. Klotzel quer participar da investigação e relatar as descobertas num documentário ou num longa-metragem.

– Capítulos: “O Klotzel teve uma ideia brilhante e eu quero me associar a ela”, diz o produtor Luiz Carlos Barreto, que desembarca hoje em SP para reuniões com o diretor.

“Queremos mostrar esse fenômeno fantástico de superação e investigar esse cearense que veio das profundidades do sertão.” Barreto acha que, além de filme, a vida de Tiririca pode virar uma minissérie.

Será??

Happy FDS

Publicado: 10/12/2010 em Humor
Tags:, ,

 

Depois das eleições, Tiririca evitou aparições públicas. Ele passou o mês de outubro em São Paulo, onde se reuniu com especialistas que fizeram todo tipo de teste para avaliar se ele sabia ler e escrever. Foram encontros reservados, aos fins de semana e feriados.

“A principal missão era avaliar o senhor Francisco Everardo sobre o ponto de vista global. Então, não só se ele era capaz de ler e escrever, mas como ele era capaz. Foram aplicados testes de inteligência. De QI mesmo”, explicou a fonaudióloga Ana Alvarez, contratada por Titirica para aperfeiçoar a leitura até os testes que seriam aplicados pela Justiça. Na primeira parte da prova aplicada ao comediante pela Justiça, o juiz ditou um trecho de um livro jurídico. Das dez palavras principais do texto, Tiririca errou oito e acertou apenas duas. As palavras que o comediante teve de escrever foram: promulgação, código, eleitoral, fevereiro, trazendo, grandes, novidades, criação, justiça e eleitoral.

“Às vezes um palavra que é com c-cedilha, às vezes, ele escreve com dois esses, ou vice-versa. Mas é perfeitamente legível e compreensível aquilo que ele escreve”, justificou o advogado de Tiririca, Ricardo Vita Porto.

Além dos erros de ortografia, Tiririca demorou oito minutos para escrever a frase completa. Ele teve dificuldades na hora em que o juiz leu “mil novecentos e trinta e dois”. Foi preciso soletrar os números.

Para o promotor Maurício Lopes, o resultado do ditado foi “sofrível”. Nos testes, foi mostrada ainda uma página de jornal. Tiririca demorou três minutos para ler o título e duas linhas. Ele também ignorou o “s” das palavras “lojas”, “produtos”, “vencidos”, “supermercados” e “multas”.

O comediante trocou ainda algumas palavras. “Punidas” virou “unidas”, “reincidentes”, virou “reincidiu”. Em vez de “infração”, ele leu “inflação”. Tiririca não soube explicar o que dizia o texto.

“Imagina a tensão de você estar numa sala com juiz, promotor, sendo questionada a sua alfabetização. Evidentemente que ele teve um desempenho muito pior do que aquele que ele comumente apresenta”, disse o advogado de Tiririca.  (aaaaaaaaaaa tá!)

O juiz deu mais uma chance ao deputado eleito. Em um novo teste, foi apresentado um texto que falava de um filme sobre Ayrton Senna, corredor brasileiro de Fórmula 1 que morreu em 1994. Tiririca se saiu melhor na leitura e só cometeu uma falha: a rivalidade “com [Alan] Prost” virou, na leitura do comediante, uma rivalidade “composta”. Mas ele se corrigiu.

“Ele entende por volta de 60% de todos os elementos que são os mais importantes da leitura. Mas o que é mais importante do que isso é que, com a retomada da leitura, ele entende 100%”, disse a fonoaudióloga. Tiritica terminou o teste de leitura escrevendo uma frase por conta própria. “Eles escreveu ‘não sou analfabeto’”, contou o advogado. Por orientação da fonoaudióloga, o comediante usou letra de forma para redigir a frase.

“Porque ele teria maior facilidade e maior rapidez para escrever”, explicou a especialista.

Para o juiz que aplicou os testes, Tiririca sabe ler, apesar da dificuldade da escrita. Ele não é totalmente analfabeto e, por isso, pode ser deputado.

Para o cientista político Humberto Dantas, o comediante terá dificuldades na atuação como parlamentar. “Ele terá dificuldades no que diz respeito a uma série de atribuições do seu cotidiano e terá naturalmente que contar com a ajuda de sua assessoria”, afirmou.  Francisco Everardo toma posse em fevereiro, de terno e gravata. Mas nada impede que ele use peruca e o chapéu de Tiririca.

O juiz da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, Aloísio Sérgio Rezende Silveira, absolveu nesta quarta-feira (1º) o deputado federal eleito Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca, na ação penal que apurava se ele teria inserido declaração falsa, afirmando saber ler e escrever, entregue no pedido de registro de candidatura para as eleições 2010.

Silveira entendeu que basta o conhecimento rudimentar da leitura e da escrita para se afastar a condição de analfabeto. “A Justiça Eleitoral tem considerado inelegíveis apenas os analfabetos absolutos, e não os funcionais”, considerou o juiz.

O juiz afirma na sentença que Tiririca não é um analfabeto absoluto e portanto tem todas as condições de exercer seus direitos políticos.

“O acusado submeteu-se por duas vezes ao exercício da leitura, seguido de compreensão de texto, a afastar qualquer dúvida quanto a não ser um analfabeto absoluto, pelo menos para fins de exercício de seus direitos políticos”, diz o juiz na sentença.

De acordo com o juiz, “do conteúdo probatório trazido pela defesa e complementado pelo ditado simples, seguido de leitura e compreensão de texto, impõe-se a sua absolvição sumária quanto ao fato imputado no aditamento da denúncia, com fundamento no disposto no artigo 397, III do CPP (que o fato narrado evidentemente não constitui crime), tornando irrelevante a investigação sobre quem, como ou em que circunstâncias a declaração que continha a afirmação de que saber ler e escrever foi produzida”.